NetBila'NewsNetBila'News Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

Emigração para o Brasil, do Douro e Trás-os-Montes

Tempos difíceis da emigração de portugueses para o Brasil Viajando pelo grande Oceano Atlântico, rumo aos estados do Rio de Janeiro e de São Paulo Servindo-me da Inteligência Artificial, através da plataforma Copilot da Microsoft , procurei encontrar imagens que se aproximassem da representação real do que terá sido a partida para o Brasil, em finais do século XIX – início do século XX, de portugueses necessitados de uma vida melhor, certamente. Neste pequeno artigo, concentro-me especialmente nos transmontanos e habitantes do Douro, que não teriam uma vida fácil, nesses tempos distantes, decidindo emigrar até Terras de Vera Cruz ou Terra de Santa Cruz, designação dada pelos descobridores portugueses quando chegaram pela primeira vez à costa nordeste do Brasil atual. Sem quaisquer pretensões em escrever ou mesmo resumir factos da História relacionados com a emigração de transmontanos e alto durienses para o Brasil, expressam-se, contudo, algumas ideias após br

Foz do Sabor

O rio e a aldeia “Foz do Sabor” Como a própria expressão indica, ”Foz do Sabor” é onde o rio Sabor desagua, impressionantemente na curva mais pronunciada do rio Douro, numa das extremidades do vale da Vilariça, próximo a Torre de Moncorvo, no Douro Superior. Mas “Foz do Sabor” é também o nome da aldeia que aí se situa. Uma aldeia relativamente pequena e muito bonita! A aldeia da Foz do Sabor, com a sua maravilhosa praia fluvial, continua ainda, nos dias de hoje, a sua atividade piscatória, aproveitando o vasto lençol de água, resultado da confluência dos dois rios, o Sabor e o Douro. Os peixes do rio, como é exemplo o barbo, fazem parte da gastronomia daquele lugar, onde os turistas poderão experimentar em pequenos restaurantes.  Um vídeo foi recentemente realizado na Foz do Sabor, que está já apresentado no canal deste blogue, o NetBila – canal que se dedica essencialmente a temas relacionados com a região de Trás-os-Montes e Alto Douro . Ligação para o vídeo  Douro: Foz do Sabor »

Divindades dos rios e dos montes transmontanos e alto-durienses

Visita às ninfas de Mirandela, e à Foz do rio Sabor A paisagem transmontano-duriense, escusado será dizê-lo, é de uma beleza imensa, manifestando-se intensamente através dos seus montes e vales; os primeiros agrestes e altivos ou então traçados da geometria das vinhas que produzem excelentes vinhos de mesa e o tão famoso vinho tratado, ou do Porto, como é comercialmente conhecido pelo mundo inteiro; e os segundos, servindo de suporte, com variedade de microclimas, a tudo quanto se relaciona com as novidades agrícolas, que são as mais diversas que possam imaginar-se! Visita às ninfas de Mirandela Numa passagem breve pela lindíssima cidade de Mirandela, revisitei as suas ninfas, após oito anos, em 15 de março de 2016, data em que captei algumas imagens, agrupando-as em pequeno vídeo, inserido no canal NetBila do YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=OFuA2mA8NSc No dia

Estória de Luísa e Francisquinha

Estória de Luísa e Francisquinha, no canal NetBila do YouTube (2º vídeo) Já aqui abordámos, em artigo anterior, esta estória de verdadeira amizade, que se passou numa aldeia do nordeste transmontano - Lagoaça, concelho de Freixo de Espada à Cinta, distrito de Bragança. A estória é deveras entusiasmante, apesar de tão curta e singela, dividindo-se em dois breves períodos, muito separados pela distância do tempo, décadas, mais precisamente. Contam-se os factos em vídeo já divulgado, mas algumas explicações serão necessárias, servindo de complemento, para um melhor entendimento do reencontro que ocorreu. Ligação para o segundo vídeo desta estória: https://www.youtube.com/watch?v=m-FJEJ2WCSo

Estória de duas personagens, em Lagoaça e Vila Real

Estória Verídica entre a aldeia de Lagoaça e Vila Real Trás-os-Montes e Alto Douro - Estória Verídica entre a aldeia de Lagoaça e a cidade de Vila Real No Podcast " Estórias, Opiniões, Contos, Relatos Breves ", do canal NetBila do Youtube, dedicado à grande e belíssima região de Trás-os-Montes e Alto Douro, foi inserido ontem, 22 de maio de 2024, vídeo que resume uma estória singela que se passa com duas simples personagens, em que os factos ocorreram na aldeia de Lagoaça, concelho de Freixo de Espada à Cinta, e na cidade transmontano-duriense de Vila Real. Essa estória baseia-se numa estória verídica, descrevendo, de certo modo, parte da vida e costumes das aldeias transmontanas e alto-durienses, em que as personagens são verdadeiras, tal como os factos descritos. O texto completo original foi transcrito para um pequeno livro, com o título "Encontro no Farol", que pode ser adquirido nas ligações a seguir: Encontro no Farol: Palavras ditas e reditas (Portuguese

“Fim da Festa” no canal NetBila do YouTube

Uma estória numa aldeia transmontana A expressão “Fim da Festa” foi escolhida para assinalar uma estória de uma aldeia transmontana, que teve como início o final das festividades anuais dessa mesma aldeia, no mês de agosto. Como se sabe, o mês de agosto, na região de Trás-os-Montes e Alto Douro, sobretudo pela noite dentro e já de madrugada, é muitas vezes bafejado por aragem fria e superfícies orvalhadas. Os dias começam a decrescer e as noites surgem mais longas. Não chovendo, alguns festeiros gostam de permanecer no largo da festa, quase até ao despontar do sol no horizonte. Outros, enroscados em mantas, assolados pelo cansaço, dormem até às últimas no recinto da festa. É, contudo, aos mordomos que cabem os derradeiros esforços, para que as festividades terminem da melhor maneira. Merecem agora dormir, descansar, evidentemente com a posterior tarefa final do balanço, mais ou menos minucioso. É neste ambiente de agosto, no despertar de um dia

Santuário do Senhor Jesus da Capelinha, em Vilar de Maçada

Senhor da Capelinha: santuário e miradouro, em Vilar de Maçada, concelho de Alijó O pequeno roteiro que proporcionou a obtenção destas imagens, reunidas no vídeo – “ Em redor do santuário do Senhor Jesus da Capelinha ” – envolve pequenos e simples lugares de uma extrema beleza, pela natureza de pequenas florestas e conjuntos de árvores que só os pequenos rios conhecem, como é o caso deste – o rio Pinhão –, ali para os lados da Ponte de Parada, praia fluvial desde tempos mais antigos, e o granítico cabeço arredondado de onde os mais afoitos se atiravam, e atiram ainda, certamente livres, livres para as águas do poço profundo. Miradouro e Santuário Senhor Jesus da Capelinha Vilar de Maçada, Alijó Com tanta água que o rio suporta nestes dias carregados de tanto chover, ouve-se nitidamente o borbulhar em cachão, em direção ao coração do Douro. Direi que, com bom ouvido e em no

Justes, Lamares, S. Lourenço de Ribapinhão

Traços históricos da freguesia de S. Lourenço de Ribapinhão Igreja Matriz de S. Lourenço de Ribapinhão (Informação obtida no livro “História das Freguesias do Concelho de Vila Real” de Ribeiro Aires) Ribeiro Aires (…) A História de Justes, tal como a de Lamares, não pode ser dissociada da de S. Lourenço de Riba Pinhão, à qual pertenceram durante séculos. Esta freguesia “ estendia-se, do Norte para o Sul, desde os altos castrejos de Pinhão Cel e Escarão até às vizinhanças da atual vila de Sabrosa, compreendendo Torre do Pinhão, Justes, Lamares, Parada do Pinhão, Riba Pinhão e Souto Maior, pelo menos ”. Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira, vol. 27, pág. 529 Integrada no antigo território de Panóias, pertenceu à presúria dos Sousãos, desde os fins do século IX. Foram senhores de Riba Pinhão o conde D. Mem Viegas de Sousa; Gonçalo Mendes «de Sousa», o conde D. Mendo (Gonçalves) «de Sousa», a condessa D. Elvira «

Delfim Monteiro

Delfim da Silva Monteiro, simples “fazedor” de curandices https://www.youtube.com/watch?v=vBc54eLsFTM Delfim da Silva Monteiro, residente no lugar das Paredes, freguesia de S. Lourenço de Ribapinhão, concelho de Sabrosa, distrito de Vila Real, não passa, segundo alguns, de um simples “fazedor” de curandices, valendo-se dos achaques e fraquezas da vida das pessoas que o procuram, sustentando as suas crenças, porventura usufruindo eventualmente de benefícios circunstanciais, continuando, de facto, Delfim Monteiro, na sua labuta diária de pequeno agricultor. Delfim da Silva Monteiro Delfim Monteiro é um homem simpático, de sorriso permanente, como eu mesmo tive já oportunidade de o constatar em diversas circunstâncias da vida da freguesia que temos em comum, inclusivamente em prolongada conversa, já lá vão uns três anos, a

Episódio quase dramático, na feira, em Saudel!

Saudel, freguesia de S. Lourenço de Ribapinhão, Sabrosa O café, o que antigamente se bebia, ou tomava, como também costuma dizer-se, nas feiras e romarias transmontanas e alto-durienses, era motivo de brincadeira, antes de tudo o mais. Os cafés ou restaurantes nas aldeias desta região, praticamente não existiam e, por isso, uma cafezeira vinda de longe com a sua grande panela, aproveitando para ganhar umas coroas, assistia a imensa histórias, algumas caricatas, mas às quais se acrescentava sempre algo de algum exagero, fazendo depois as delícias de quem as ouvia, não só nesses tempos já distantes, mas ainda hoje, sobretudo quando se reúnem os mais velhos numa cafezada, ou em almoço festivo ou de brincadeira. Diz-se que a história a que me refiro terá sido verdadeira. Mais ponto menos ponto, pessoalmente, acredito. Era confecionado, esse café, numa grande panela… uma panela cheia de água a ferver, em cima duma fogueira bem desperta, a que se acrescentava uma grande dose de café. Deixava

Em S. Lourenço de Ribapinhão, a história de uma merenda

História antiga de uma merenda, em S. Lourenço de Ribapinhão, com Zé Gonçalves A história passa-se na linda aldeia de S. Lourenço de Ribapinhão, concelho de Sabrosa, distrito de Vila Real. O protagonista principal é meu avô materno, conhecido por Zé Gonçalves. Foram muitas as histórias em que interveio, numa época áurea da vida na freguesia de S. Lourenço, e os acontecimentos do quotidiano relacionados com a exploração do volfrâmio nas minhas do Vale das Gatas, pelos anos 40/50 do século XX. Histórias simples, quase ingénuas, mas algumas delas muito engraçadas. Neste vídeo conta-se uma dessas histórias. Aproximava-se a hora marcada para uma merenda, aí pelo fim de tarde, depois dos trabalhos na lavoura ou com os animais no pasto, ou ainda depois de alguma negociata feita às escondidas, longe das línguas mais compridas. Recordo que na freguesia de S. Lourenço se vivia um tempo áureo de exploração de volfrâmio nas minas do Vale das Gatas (anos

Feiras de Fumeiro em Trás-os-Montes 2024

Fumeiro Transmontano A região de Trás-os-Montes, no norte de Portugal, é conhecida pela preservação dos costumes, nomeadamente a que respeita às tradições e diversidade gastronómica. Uma das especialidades mais importantes desta região, especialmente durante o inverno, é o fumeiro, que tem como origem principal a necessidade, desde tempos remotos, da preservação das carnes, como é o caso da carne de porco, constituindo uma das atividades das famílias: a criação e a confeção do fumeiro ― uma tradição antiga que tem sido passada de geração em geração, e continua a ser uma parte importante da cultura gastronómica de Trás-os-Montes. A carne de porco é cuidadosamente selecionada, salgada e depois pendurada para secar, ao fumo. A carne defumada pode ser consumida de várias maneiras: ou como petisco, ou como ingrediente principal em pratos tradicionais. São bem conhecidos os cozidos à transmontana ou cozido à barrosã, muito semelhantes entre si. Estes e outros cozidos são confecionados com as

Vídeo no canal NetBila do YouTube “Natal 2023”

Natal 2023 – Tradições Natalícias em Trás-os-Montes e Alto Douro Vídeo"Natal 2023" Trás-os-Montes e Alto Douro - Tradições As tradições de Natal na região transmontano-duriense são, na sua génese, mais ou menos as mesmas de outras regiões portuguesas e outras regiões do mundo. É natural, contudo, que cada região tenha as suas especificidades culturais, tal como em Trás-os-Montes e Alto Douro, região a que este blogue, o NetBila’News, e o seu canal no YouTube, o NetBila , dedicam especial importância e atenção. Vila Real é a cidade central desta grande região, cujas autoridades municipais têm levado a cabo, nas vésperas de Natal, grandes exposições de presépios, em que participam todas as freguesias do concelho, utilizando diferentes técnicas e materiais na feitura das suas obras, patentes em diversas ruas da cidade capital transmontano-duriense, contribuindo de certo modo para a preservação de costumes tradicionais cristãos, e ao mesmo tempo exibindo capacidades artísticas, s

Trás-os-Montes e Alto Douro, em imagens, pela Inteligência Artificial

A região transmontano-duriense, em imagens, pela Inteligência Artificial INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL Trás-os-Montes e Alto Douro | Inteligência Artificial De um modo muito simples, poderá designar-se a “Inteligência Artificial” como o resultado de uma assistência virtual, no sentido de ajuda e colaboração na resolução de questões, através de sequências de algoritmos e aplicação de dados, permitindo obter resultados práticos a partir dos chamados “prompts”, isto é, conjuntos de comandos e instruções ou descrições sobre determinado tema, dos quais se esperam respostas elaboradas e rapidamente prestadas pelas plataformas da Inteligência Artificial. Assim, capacidades extraordinárias de resolução e criação são atributos principais da Inteligência Artificial. A ARTE PELA INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL Trás-os-Montes e Alto Douro No vídeo que se apresenta no canal NetBila , que tem como temática principal a região transmontano-duriense, do qual se indica, a seguir, a ligação para o YouTube, mostra-se u

A região transmontana vista por plataformas de inteligência artificial

Trás-os-Montes! Onde está Trás-os-Montes? Verdadeiramente conhecem a região transmontana? Ligação para vídeo no canal NetBila do YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=kZR7u3DUhB4 Trás-os-Montes é uma região do norte de Portugal, onde a riqueza da sua História e simplicidade das gentes que contam e cantam estórias, e a beleza natural se encontram de modo invulgar! A região transmontana tem sido um ponto de mudanças significativas ao longo dos séculos, evoluindo de uma terra de tradições profundamente enraizadas para um lugar onde as aspirações de desenvolvimento deixam marcas. Assinalo o vídeo recente inserido no canal NetBila que, de certa maneira, pretende explorar a essência de Trás-os-Montes, mergulhando nas paisagens deslumbrantes, na cultura rica, nos seus habitantes, os verdadeiramente transmontanos, e na observação atenta de tudo que envolve a região, através das contribuições das plataformas de inteligência artificial, inspirando todos – transmontanos e habitantes de outras

De S. Mamede de Ribatua a Foz do Tua, no Alto Douro

Miradouro do Ujo, S. Mamede de Ribatua, e Foz Tua; no Alto Douro De S. Mamede de Ribatua a Foz do Tua, em direção ao rio Douro No pequeno roteiro previamente elaborado para a realização de vídeo sobre os lugares referidos acima, tiveram-se em conta dois pontos principais de visita: o Miradouro do Ujo , em S. Mamede de Ribatua e Foz Tua . Esta localidade pertence à União das Freguesias de Castanheiro do Norte e Ribalonga, do concelho de Carrazeda de Ansiães, distrito de Bragança. Miradouro do Ujo Como se observa pelas imagens desse vídeo , avista-se do miradouro do Ujo uma panorâmica deslumbrante sobre o rio Tua, agora sob a influência da sua barragem, quase na foz do rio, alargando assim o seu caudal, bonito, é certo, mas infelizmente retirando-se-lhe a alma do antigo comboio, naturalmente observado, segundo os poetas, pelo Ujo, que do alto das fragas e das abruptas margens, de um voo apenas, rapidamente alcançava o rio. O ujo, conforme o Dicionário de Língua Portuguesa, "é uma a

Região do Alto Douro – Dois Miradouros Surpreendentes

Próximos um do outro, dois miradouros surpreendentes no Alto Douro Vinhateiro : No Castedo e em Casal de Loivos - Concelho de Alijó O primeiro, situado no Castedo do Douro – o miradouro de Santa Marinha. Por ali, as arribas são impressionantes, com uma vista deslumbrante sobre o rio Douro e a localidade de Foz Tua. A margem tão elevada do rio naquela zona, no Castedo, localidade pertencente ao concelho de Alijó, distando desta vila seis quilómetros; permite aos visitantes obter o equivalente a uma vista aérea, como se verifica através das imagens reunidas em vídeo do canal NetBila do YouTube. Dois Miradouros Surpreendentes »» VÍDEO »»   O segundo miradouro é realmente próximo do primeiro, tomando o caminho, ou melhor, a estrada que une o Castedo do Douro à aldeia de Casal de Loivos, passando por Cotas, Póvoa e Vilarinho de Cotas. Deste miradouro, o de Casal de Loivos, avista-se umas das grandes quintas do Alto Douro Vinhateiro – a Quinta das Carvalhas –, na margem esquerda do rio Dour

Do Castedo ao Peso da Régua, no Alto Douro Vinhateiro

Do Castedo - Alijó, ao Pinhão e Peso da Régua, no Alto Douro Vinhateiro VALE DO DOURO || DOURO VALLEY Novo vídeo sobre a região do Alto Douro : imagens do percurso entre o Castedo e o Peso da Régua Do Castedo ao Peso da Régua, Douro - Pinhão Do Castedo ao Peso da Régua As imagens para este vídeo, que se encontra inserido no canal NetBila do YouTube, foram recolhidas no Alto Douro Vinhateiro, no dia 23 de setembro de 2023, entre a aldeia do Castedo, no concelho de Alijó, e o Peso da Régua; passando pelo miradouro admirável e capela de Santa Marinha, ainda dentro do Castedo, e as aldeias de Cotas, Póvoa, Vilarinho de Cotas e Casal de Loivos, onde se situa um miradouro, igualmente maravilhoso – autêntica varanda sobre o rio Douro e o Pinhão e a famosa Quinta das Carvalhas. Nesse dia, por sorte, obtiveram-se imagens lindíssimas, não só do rio Douro e seu afluente Pinhão, mas também de barcos turísticos e surpreendentemente o comboio histórico, fazendo relembrar a História da região do Alto

Paisagem Duriense: de Sabrosa a Cheires

Alto Douro Vinhateiro: de Sabrosa a Cheires, Sanfins do Douro VALE DO DOURO || DOURO VALLEY Cheires Em passeio matinal que já não efetuava há uns bons longos tempos, dirigi-me à lindíssima vila de Sabrosa e, daí, recolhendo algumas imagens que reuni em vídeo, inserido no canal NetBila do YouTube, fiz o percurso até a aldeia de Cheires, pertencente à freguesia de Sanfins do Douro; passando pelo lugar do “Vale da Porca” e pela ponte da Ribeira - ponte sobre o rio Pinhão -, que liga o concelho de Sabrosa ao concelho de Alijó. VÍDEO: De Sabrosa a Cheires, Sanfins do Douro || Alto Douro Vinhateiro

"Alto Douro - do Peso da Régua ao Pinhão", pela Inteligência Artificial

"Trás-os-Montes e Alto Douro - Recantos" Entre o Peso da Régua e o Pinhão "Entre o Peso da Régua e o Pinhão" BlueWillow ALTO DOURO Chegam as vindimas, a bonança. Margem do rio que ultrapassa Caminho de sonhos, esperança, No vinho que a alma abraça! ChatGPT Nesta rubrica, "Trás-os-Montes e Alto Douro - Recantos", as representações de lugares transmontanos e alto-durienses, e textos; têm como autores as diversas plataformas de inteligência artificial, ou não! Podem inserir-se aqui, também, imagens, fotos de lugares reais da região referida. Canal NetBila, no YouTube »»

"Trás-os-Montes - Recanto 1", pela Inteligência Artificial

"Trás-os-Montes e Alto Douro - Recantos" "Trás-os-Montes - Recanto 1", pela Inteligência Artificial (imagem e texto) "Trás-os-Montes - Recanto 1" TRÁS-OS-MONTES Em cada recanto, há histórias a contar, Um sorriso acolhedor em cada olhar! MicrosoftBing Nesta rubrica, "Trás-os-Montes e Alto Douro - Recantos", as representações de lugares transmontanos e alto-durienses, e textos; têm como autores as diversas plataformas de inteligência artificial, ou não! Podem inserir-se aqui, também, imagens, fotos de lugares reais da região referida. Canal NetBila, no YouTube »»

Projeto das Cagalhetas (ficção): fim da estória?

Projeto das Cagalhetas: fim da estória, do lugar do Cimo do Monte? Pelo facto do referido projeto não atar nem desatar, como é costume dizer-se, sobressaindo discussões e mais discussões, com ideias ditas inovadoras, praticamente todas as semanas, a que se juntam outros encontros disfarçados, nas esquinas mais frequentadas da aldeia, constato a impossibilidade ou falta de imaginação, pelo que me vejo quase obrigado a pôr termo a esta estória. As imagens com que construí a parte introdutória do vídeo que assinala o fim da estória de ficção "Projeto das Cagalhetas" foram obtidas a partir da plataforma web de inteligência artificial “ BlueWillow ”, dedicada à criação de imagens, posteriormente agrupadas nesse vídeo, por este canal. “ Bing Image Creator ” é, de igual modo, uma das plataformas de inteligência artificial, da Microsoft, uma ferramenta que permite criar arte gráfica a partir de um texto. É mesmo o fim da estória do projeto das cagalhetas? Certamente, sim.  A estória

Trás-os-Montes e Alto Douro: imagens fictícias

Trás-os-Montes e Alto Douro: imagens fictícias, pela Inteligência Artificial O Alto Douro Vinhateiro e a região transmontana, com as suas diferentes características, principalmente as que se referem às paisagens, estão representados no canal NetBila em dois dos seus vídeos. Para a sua realização, serviram de auxiliares artísticos uma das plataformas de imagens de Inteligência Artificial em desenvolvimento – BlueWillow, em bluewillow.ai . Através dessa plataforma, e dos “prompts”, isto é, instruções de texto dadas de modo à obtenção dos melhores resultados possíveis, considerou-se como objetivos principais a luz, a expressividade das cores e as semelhanças com as regiões mencionadas. Quanto a estas, algumas dúvidas poderão ser colocadas, pois apesar de um nível avançado no seu desenvolvimento, alguns erros ocorrem nessas plataformas de Inteligência Artificial, como por exemplo incongruências em alguns elementos das composições obtidas.  Vídeos realizados a partir da obtenção de imagens

De Lamares a Vilar Celas, a serra de Santa Bárbara

Serra, ou planalto, de Santa Bárbara, em S. Lourenço – Sabrosa Segundo o dicionário online Priberam, uma légua é uma medida itinerária antiga que terá um valor variável conforme as épocas e os países, geralmente entre os 4 e os 7 quilómetros . Refere também o mesmo dicionário, tal como o dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora, que a légua métrica é a medida itinerária portuguesa equivalente a 5 quilómetros . Esta informação vem a propósito do documento elaborado pelo sr. Padre Seraphim Alvares – pároco e reitor da Igreja Matriz de S. Lourenço de Ribapinhão, concelho de Sabrosa, distrito de Vila Real, quando se referiu, no ano de 1758, três anos após o terramoto em Lisboa, a determinadas características da freguesia, nomeadamente sobre o comprimento e largura da serra de Santa Bárbara, nesta mesma freguesia (uma légua de comprimento e outra de largura). Acedendo a outros artigos insertos neste blogue, havendo suficiente curiosidade, poderá o leitor conhecer mais sobre esse tem

Porto - Vila Real: história de uma viagem atribulada

Pequena história, verdadeira, de uma viagem atribulada entre a cidade do Porto e Vila Real As férias das ovelhas mais influentes do lugar do Cimo do Monte; Breves imagens dos bastidores do canal NetBila; Uma história verdadeira de uma viagem atribulada, entre a cidade do Porto e a capital transmontana. Vídeo no canal NetBila do YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=w88aOcnoo2o