Mensagens

Ponte metálica da Régua

Imagem
Ponte inaugurada em 1872

A ponte metálica do Peso da Régua, sobre o rio Douro, foi reabilitada em 2012 e encontra-se aberta ao público, sendo permitido o seu uso apenas para passear a pé ou de bicicleta. A ponte foi inaugurada em 1872 e em 1949 foi fechada por causa da degradação da madeira de que era feito o seu tabuleiro. Esta característica e outras foram mantidas, acrescentando-se uma iluminação adequada, realçando, à noite, a sua beleza arquitetónica.

Do Peso da Régua ao Pinhão

Imagem
A barragem de Bagaúste

A montante do Peso da Régua, a uma curta distância, encontra-se a barragem de Bagaúste, cuja construção foi finalizada em 1973, uma das barragens do rio Douro a produzir energia e ao mesmo tempo permitindo, com a albufeira, a sua navegabilidade. Da Régua ao Pinhão, a estrada é paralela ao rio e a paisagem é digna de observação, não havendo lugar a distrações se estiver ao comando do automóvel. Com este meio de transporte circula-se pela margem esquerda, até ao Pinhão, avistando-se antes de chegar a esta vila duriense a Quinta das Carvalhas, na imponência de um monte que domina do seu cume uma vasta área da região do Alto Douro. Já por ali subiram, nas suas encostas, os bólides do Rally de Portugal.  Na margem norte, o comboio acompanha o rio numa paisagem de sonho até ao Pocinho. Ao Pinhão chegou o primeiro comboio em 1 de junho de 1880. A sua estação ferroviária mostra nas paredes do edifício os seus vinte e quatro painéis de azulejos a representarem a paisagem e …

Peso da Régua

Imagem
A ponte com arcos de ferro

O Peso da Régua é um dos centros da região demarcada do Douro, com uma das estações ferroviárias mais movimentadas do Alto Douro.  Um ponto importante a visitar para quem chegar em passeio à cidade da Régua é a ponte antiga com arcos de ferro, construída em 1872 para substituição das barcaças usadas antes dessa data, que transportavam passageiros e bens entre as duas margens, sendo recentemente restaurada e recuperada como ponte pedonal. De lá se aprecia de perto e do alto, o rio Douro e as suas margens, assim como uma bela panorâmica da cidade da Régua. A ponte de pedra, concluída em 1933, fazia parte de um projeto para levar o Caminho de Ferro a Lamego. Assim não aconteceu, sendo adaptada a rodovia em 1947.

Região Demarcada do Alto Douro

Imagem
O vinho tratado e a paisagem duriense

É na vasta Região Demarcada do Alto Douro que se produz o famoso Vinho do Porto, assim conhecido nos quatro cantos do mundo. É do Porto porque daí parte após o seu envelhecimento, mas as suas raízes são do Douro, do Alto Douro Vinhateiro. Este precioso néctar - o vinho tratado ou vinho fino - e os vinhos de mesa, apreciados e reconhecidos internacionalmente com inúmeros prémios, constituem hoje o principal setor económico da região. 

O grande investimento humano na transformação da paisagem do vale do Douro e das suas encostas até aos planaltos circundantes deram origem àquela que é a mais antiga região demarcada, com uma paisagem deslumbrante, jardim verde, de tonalidades exuberantes, numa espontaneidade artística dotada de características únicas, como as luminosas alterações originadas pelas estações do ano em conjugação com as diversas fases de rejuvenescimento das folhas das videiras, o seu crescimento a par dos cachos de uvas, antes do manto mul…

Descida ao Ferrão, Alto Douro

Imagem
De S. Martinho ao Ferrão

A vila de S. Martinho de Anta, no concelho de Sabrosa, é um dos lugares a partir dos quais se pode iniciar a descida até à margem direita do rio Douro. Neste caso, o caminho a seguir é a estrada N322-2, passando pelas aldeias de Roalde, Paradela de Guiães, Ordonho e Gouvinhas. Após esta aldeia, os vinhedos adensam-se e evidenciam-se na sua forma e beleza, vislumbrando-se o serpentear do rio Douro.

Uma das quintas que nestes lugares, em volta do Ferrão, se impõe pela sua extensão e beleza é a quinta do Crasto, imponente, sobranceira ao leito do rio, desenhada nesta altura do ano em bardos verdes, e o casario da quinta, sobressaindo de extensas manchas de verdura, resplandece de cores brancas, numa diligência permanente, ou espécie de saudável vaidade dos caseiros que tratam cuidadosamente das vinhas, dos espaços, do vinho e tudo o mais que faz o Douro.

Ferrão, na linha do Douro

Imagem
Ferrão, entre a Régua e o Pinhão

Quem viaja na linha ferroviária do Douro, do Porto ao Pocinho, tem a oportunidade de passar no apeadeiro do Ferrão, onde podem os visitantes apear-se do comboio e dali apreciar a lindíssima paisagem duriense, à sombra, debaixo de algumas frondosas árvores. Mas, a não ser que tenham marcado e combinado com uma das quintas que em redor disponibilizam serviços turísticos de alojamento, ou então comprando uma viagem de barco até ao Pinhão ou Régua, sair do Ferrão, por exemplo em direção ao Porto, apenas de comboio poderá fazer-se a viagem de regresso, sendo conveniente acompanharem-se de uma merenda, pois ali mesmo, no Ferrão, não existe qualquer restaurante ou snack-bar.

Douro: lugar do Ferrão

Imagem
Estação ferroviária do Ferrão