Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens com a etiqueta Douro

Aletria com vinho tratado

Aletria de textura consistente, acompanhada de vinho tratado ou vinho do Porto A aletria é um doce normalmente degustado em sobremesas de almoços e jantares festivos. O objetivo desta receita é alcançar uma massa de aletria relativamente consistente, saboreando-se com vinho tratado, ou vinho do Porto, como queiram chamar-lhe, num momento descontraído e fora de quaisquer festividades. O vinho tratado que se juntou à degustação desta aletria foi gentilmente oferecido por conterrâneo amigo, e é originário das vinhas das encostas da margem direita do rio Douro, concretamente no Douro Superior, no lugar da Senhora da Ribeira, Carrazeda de Ansiães. Vou então dar nota da receita da aletria com uma boa consistência, de modo a poder comer-se às fatias. Coloca-se a massa de aletria dentro de um pouco de água, deixando-se ferver por poucos minutos, mais ou menos sete minutos. Junta-se açúcar a gosto e casca de limão. Adiciona-se uma quantidade de leite, que será o dobro da quantidade de água, dei

White Noise Wind

Vídeo de concentração, para estudar ou trabalhar, ou simplesmente meditar ou descontrair, ou ainda durante cinco horas dormir! Regule o som à sua medida, ao seu gosto... e desfrute da memória da paisagem - um quadro a óleo, fazendo suporte a duas pequenas árvores decorativas, fabricadas com pequenos elementos das pinhas que se encontram em Trás-os-Montes e Alto Douro "Douro Valley". A composição foi reduzida nas suas cores ao quase preto ou cinza, juntando-se-lhe efeitos de neblina a correr com a força do vento!

Marmelada e Geleia Caseiras

Confeção de marmelada caseira, aproveitando-se os caroços para um pouco de geleia Processo de fabrico, tendo em atenção o uso não exagerado de açúcar, extraindo-se assim o gosto ácido do marmelo, originando uma marmelada rica em sabor, e não enjoativa.

O projeto mais falado do lugar do Cimo do Monte

Finalmente o projeto das cagalhetas de Tchico, transmitido a Nanico Agora que ajudaram ao reco do Ti Zé, estando o serviço concluído, Tchico e Nanico, de novo reunidos nas já habituais segundas-feiras de madrugada, poderiam agora discutir a ideia do projeto que Tchico tinha em mente. Nanico ouvira já rumores sobre o assunto, mantendo-se expectante e algo apreensivo, pois sabe que Tchico tem ideias às vezes atravessadas. Antes ainda do assunto principal deste encontro, Tchico, que se julga um tipo esperto, e assim é considerado pelos seus conterrâneos, puxa a conversa da ajuda ao reco: que tudo correu bem, como esperado, e que os dois desempenharam um papel importante na amanhação do reco. Nanico recordou em breves palavras a primeira vez que, na adolescência, ajudou em empreitada semelhante, atirando-se empinado e vaidoso para o acontecimento. No entanto, no final, após a queima do pêlo, sentiu a quentura das unhas do animal que os mais velhos utilizavam então para introduzir nos bolso

A aldeia conhecida por lugar do Cimo do Monte

“Lugar do Cimo do Monte”, lugar isolado das grandes freguesias O “Lugar do Cimo do Monte” é um lugar isolado das grandes freguesias e da vila que a superintende, mas com uma vida muito ativa, através de alguns dos seus habitantes que, diga-se, são em número abreviado. Com verdade, o lugar do Cimo do Monte ou aldeia do Cimo do Monte, assim também conhecido, como facilmente se constatará pelas descrições e factos ocorridos, tantas vezes simplórios e burlescos, é uma designação fictícia, que pelas características e naturalidade dos homens e mulheres do lugar podem bem representar muitas das aldeias transmontanas e durienses, situadas em locais mais ou menos remotos das montanhas que fazem a linda região de Trás-os-Montes e Alto Douro. Hoje em dia, esta designação, por circunstâncias administrativas, e outras, alterada, é região dividida em duas nas palavras. Contudo, para os mais conservadores, as duas sub-regiões continuam a integrar a mesma e única região, se bem que as suas característ

Presépios e decorações de Natal, em Vila Real (2022)

Uma belíssima iniciativa que o Município de Vila Real e as suas Freguesias mantêm. Todos os anos na Quadra Natalícia, a Câmara Municipal de Vila Real com a participação das Juntas de Freguesia do concelho, oferecem os seus presépios aos habitantes e turistas que por esta altura visitam a cidade que liga o Douro Valley e Trás-os-Montes.

Certa estória no futebol

  Comédia e ficção: O empreendimento das cagalhetas Segundo Ti Zé, o dono da tasca do lugar do Cimo do Monte, dizem por aí que alguém terá sugerido uma oferta generalizada de flores aos jogadores da grande equipa, na intenção de agradecer aos valentes a vitória histórica. No projeto das cagalhetas, de que Ti Zé faz agora parte como sócio do empreendimento, Tchico e Nanico ficam desconfiados perante a conversa enigmática do terceiro sócio, pois apesar do seu gosto pelas flores, sugere no final que ramos de chouriços deveriam ser oferecidos, ou então dinheiro, visto que os jogadores estão habituados a colecioná-lo e, sendo assim, far-lhes-ia mais jeito. Tchico e Nanico desistem naquela noite de tentar formular uma justificação para compreender Ti Zé, remetendo para o dia seguinte, pela manhã, uma reunião secreta, a fim de encontrar uma resposta para a desconfiança.

Sabores transmontanos e durienses

Imagens e sabores transmontanos e durienses: laranjas de inverno e uma das receitas para confeção de aletria, uma sobremesa doce que se come em dias festivos.

S. Lourenço e S. Martinho de Anta

A claridade do dia de hoje, 3 de dezembro de 2022, despontou de modo diferente: muito frio, chão gelado e as superfícies de pequenos charcos recebiam gotículas do nevoeiro cerrado que pairava nos vales do rio Pinhão e ribeiros afluentes, transformando-se em espelhos do céu, e as ilusões que os fizeram, em mares se transformaram! ToFernando

Ferrão, Alto Douro - Lugar do Ferrão

Lugar do Ferrão - estação ferroviária do Ferrão na linha do Douro, entre o Peso da Régua e o Pinhão O lugar do Ferrão pertence à freguesia de Covas do Douro, do concelho de Sabrosa, e a sua estação de caminho-de-ferro existe desde 1880, tendo sido inaugurada nesse ano, no dia 4 de abril. Douro FERRÃO Poderá chegar-se ao Ferrão, de comboio, evidentemente, mas neste caso, aconselho a viagem em automóvel, partindo por exemplo da cidade de Vila Real em direção a Sabrosa. A pouco mais de meio deste percurso, os visitantes poderão visitar S. Martinho de Anta, terra natal de Miguel Torga, pseudónimo de Adolfo Correia da Rocha, autor de uma importantíssima obra literária, reconhecida e traduzida em várias línguas. Antes de iniciar a descida até ao lugar do Ferrão, não deixe de visitar nesta vila transmontana o Espaço Miguel Torga, notável instituição cultural que tem como objetivo principal estudar e divulgar a obra poética e literária de Miguel Torga. S. Martinho de Anta é um dos lugares a pa

Pinhão

Vila do Pinhão A vila do Pinhão é um dos lugares centrais do Alto Douro, a mais antiga região vitícola do mundo, conhecida por Região Vinhateira do Alto Douro. Foi classificada pela UNESCO, em 14 de dezembro de 2001, como Património da Humanidade, na categoria de paisagem cultural. O Pinhão pertence ao concelho de Alijó e situa-se na foz do rio que lhe deu o nome e na margem direita do rio Douro. Neste lugar, e por toda a região, foram surgindo inúmeras quintas que desenvolveram a produção do vinho português mais famoso do mundo – o vinho do Porto. Os agricultores locais, sobretudo os mais antigos, e os defensores das raízes culturais alto-durienses, gostam de designá-lo por vinho fino ou vinho tratado. A propósito das vinhas do Douro e do seu tão apreciado vinho, o Marquês de Pombal, figura importante, das mais conhecidas da História de Portugal, elaborou um documento por ele assinado em 31 de agosto de 1756. Com esse documento, o rei D. José I assinou, no dia 10 de setembro desse mes

NetBila

NetBila é a designação original para o blogue que iniciei em 2006, sofrendo várias transformações, ao longo dos anos, nomeadamente nas várias plataformas de suporte aos conteúdos inseridos nas suas páginas. Hoje, o NetBila, ou blogue NetBila, tem como domínio registado – NetBila’News, em netbilanews.com , e, resumidamente, tal como expresso no pequeno vídeo de apresentação mais recente, trata de temas simples ligados a Trás-os-Montes e Alto Douro, nomeadamente lugares, culturas, as pessoas e suas estórias. À aldeia transmontana onde nasci  –  S. Lourenço de Ribapinhão  –   tenho dado particular importância. Em paralelo, e dentro da mesta temática, o NetBila mantém o seu canal no YouTube, em youtube.com/c/netbila . ToFernando

Atividades do NetBila

Vista para o Douro

Do miradouro de Sabrosa, uma vista deslumbrante para o Douro!

Douro: vindimas

  Um passeio pela região demarcada do Alto Douro. Observação de uma vindima, em Castedo do Douro.

Foz-Tua e Castedo do Douro

Maravilhosa paisagem, numa das encostas mais belas do Douro A vista é maravilhosa, esta que se observa para o rio Douro, numa das encostas mais belas da região vinhateira, vislumbrando-se a aldeia de Foz-Tua. Apesar do fim de tarde e nebulosidade do céu, as cores do Alto Douro ali estão patentes, e a serenidade em harmonia com Santa Marinha e a sua capela, muito bem situada entre o Castedo e o rio! Palavras de simpatia e agradecimentos para essas duas aldeias – Foz-Tua e Castedo – são devidas neste momento, não apenas pela paisagem deslumbrante que entalham à sua volta e gratuitamente manifestam, mas também pela saborosíssima merenda com que nos presentearam, composta de, para além das especiais uvas de mesa, outros produtos regionais das redondezas, alguns ali enviados pelo Ilídio Monteiro, da padaria que gere, próxima à estação de caminho de ferro do Tua: pão de centeio, pão sovado e bolos económicos, iguarias simples, mas com particulares características de confeção e sabor, que sat

Homenagem ao poeta duriense António Cabral

Homenageado, pelo Município de Alijó, o poeta António Cabral, em 1 de agosto de 2021.

Souto Maior

Souto Maior é uma linda aldeia transmontano-duriense do concelho de Sabrosa, situada entre a vila sede de concelho e a aldeia de S. Lourenço de Ribapinhão.

Zamora

Zamora, em 13 de junho de 2016

A economia na região do Alto Douro

Região vinhateira do Alto Douro Douro: Armamar A economia na região do Alto Douro baseia-se na monocultura do vinho, para o que muito contribuem o clima de tipo mediterrânico e o solo de xisto. As produções vinícolas no Alto Douro dificilmente encontram paralelo em qualquer outra parte do mundo, em quantidade e sobretudo em qualidade, e ainda em variedade. Além dos vinhos de mesa, geralmente bem graduados, esta região produz vinhos finos que, aliás, injustamente, em vez de serem designados por vinhos do Douro, são chamados Vinhos do Porto. Porto, a segunda cidade de Portugal que dá o nome a esses vinhos, em virtude do escoamento da exportação ser feito a partir da cidade do Porto. Moscatéis e espumantes são também produzidos, embora em quantidades reduzidas, no Alto Douro. A vinha é assim o elemento predominante na paisagem duriense. Contudo, a bordejar a vinha encontra-se m