Avançar para o conteúdo principal

Mensagens

A mostrar mensagens com a etiqueta S. Lourenço

Restaurante Churrasqueira Convívio

Restaurante, em Saudel, freguesia de S. Lourenço de Ribapinhão Aproveitando reunião familiar, decidiu-se sossegar a hora de almoço no Restaurante Churrasqueira Convívio, em Saudel, freguesia de S. Lourenço de Ribapinhão, mesmo ao lado do Santuário de Nossa Senhora da Saúde. Precedendo a refeição, no terraço do restaurante com belíssima vista sobre o Santuário, encontros espontâneos com conterrâneos ocorreram amistosos e aprazíveis de sinceras amabilidades. Sabemos que a relatividade dos gostos sempre condiciona e molda opiniões. Pela parte que me tocou, antes ainda de umas ótimas castanhas assadas, provenientes de um souto mesmo ali ao lado, um churrasquinho caseiro perfeitamente condimentado e rodeado de uma saborosa batata frita, loirinha e seca, veio a calhar. Um copo ou dois do vinho servido, bem tinto, como apreciámos, aprimorou lembranças e histórias daquele lugar que se expressaram entusiásticas. E não se julgue o desconhecido: uma boa porção de queijo, acompanhada de uma substa

Pela serra da freguesia de S. Lourenço

Caminhos antigos da freguesia de S. Lourenço de Ribapinhão Despertando bem cedo, na companhia do sol outonal, e do seu brilho a intensificar-se com a beleza maravilhosa dos altos da freguesia de S. Lourenço de Ribapinhão, eis-nos pelas recordações dos tempos antigos e das figuras laurentinas que ainda hoje protagonizam histórias, muitas delas contadas na simplicidade das palavras e expressões de então, fazendo-nos sorrir em provocação constante e inspiradora sentimentalidade. A enorme beleza das paisagens e seus recantos, ricos pela diversidade dos arbustos e flores silvestres a servirem de alimento aos animais, sobretudo nesses tempos mais recuados, mas ainda bem claros nas nossas memórias, transportam-nos às vivências dos nossos pais, avós, bisavós. Tais manifestações de vida que nos espertam por entre quadros originais de rara perfeição, vividos agora, neste presente, ligam facilmente aos que nos precederam, possibilitando viagens no tempo que, afinal, não são assim tão difíceis de

Serrobeco

Serrobeco ou Serrubeque No vídeo “ Caminhos de Vilar Celas ”, António Vilela refere-se ao “serrubeque” ou avental de “serrubeque”. Tomei eu próprio a liberdade de inscrever no subtítulo desse vídeo a expressão “xaile de serrubeque”. De facto, tal como em outras terras, na freguesia de S. Lourenço de Ribapinhão, em tempos que já lá vão, chamava-se “serrubeque”, como muito bem diz o António, ao tecido grosseiro resultante da lã das ovelhas de “serrubeque” – ovelhas de cor preta, cuja lã seria muito áspera, mas que protegia muito bem do frio e da chuva as senhoras que o usavam. Entretanto, contribuindo para um melhor esclarecimento desse termo antigo, a Márcia Parente e o José Vilela, comentando no Facebook, associaram a palavra “serrubeque” às capas de burel, despertando a minha curiosidade, levando-me a uma breve pesquisa e consulta ao dicionário de língua portuguesa, concluindo que o termo popular em referência deve escrever-se serrobeco, tal como consta no dicionário online Priberam.

Caminhos de Vilar Celas

Caminhos de Vilar Celas, Carvalhada, Saudel, e xailes de serrubeque !

Vilar Celas, S. Lourenço de Ribapinhão

Belíssima serra, esta que envolve a pequena aldeia de Vilar Celas e a Mamoa de Madorras! É impossível ficar indiferente à beleza deste planalto, situado na parte mais alta da freguesia de S. Lourenço de Ribapinhão, do concelho de Sabrosa.

O tempo do teatro em S. Lourenço

Na década de 50 do século passado, comédia e drama eram representados por atrizes e atores da freguesia de S. Lourenço de Ribapinhão. O Raul de Carvalho e a D. Manuela, nora do saudoso sr. Daniel, falam-nos desses tempos.

Este jardim que é um quintal

S. Lourenço: este jardim que é um quintal As formas estruturais deste jardim são geometricamente simples, de imediata compreensão, para mim fonte inspiradora para artes que não conheço em pleno, ou melhor, descoordenam-se imparáveis superfícies de cor, causando impressões informais sem que se dê conta da realidade. Distanciações significativas entre um e outro pé são imprescindíveis obrigações para provocar sentidos, criando contrasensos, mas de genuínos traços, mesmo assim com algumas novidades, e boas, e frutos que anteveem o futuro, capacitados de boas absorções como se fossem primeiros, e outros mais robustos que ocorrem fora de tempo, ocupando vazios, juntando-se à importância do lugar. Quem diria! Um jardim que é um quintal, ou horta singela cheirando a jardim!

Encontro

E N C O N T R O Uma relação à distância ocorria debaixo de uma modesta normalidade, como se o sol e o resto dos astros conhecidos ali tivessem permanecido com regularidade, a transmitirem como coisas banais os raios de luz de sempre, sombras e contrastes. De igual para igual, as dimensões, também elas regulares, tornavam-se estabelecidas premissas, dando à consciência contas de acontecimentos naturais nas vidas comuns e na minha própria. Pelo quotidiano percorrem-se caminhos que caracterizo de uma agradável fluidez, mas, de modo espontâneo, surgem traços na paisagem, nada esclarecendo, pelo menos à primeira vista, até porque as atenções ocupam diversos lugares sem que tenham a capacidade de os remexer pelas gavetas da memória. Posicionam-se disformes, perfazendo conjuntos dirigidos para o alto dos nossos olhos, conseguindo despertar-me e despertar-nos com o passar do tempo, como se este existisse só, até ao fim. Três ramos dirigem-se para a l

Nascer do Sol, nas Paredes, S. Lourenço de Ribapinhão

Lugar das Paredes, em S. Lourenço de Ribapinhão, concelho de Sabrosa! 19-07-2021 Pelas 06:15 horas, o nascer do Sol, a fazer realçar o brilho de um manto de nevoeiro.

S. Lourenço de Ribapinhão

S. Lourenço de Ribapinhão

Da Fontela às Queijatas

Vista da Fontela para as Queijatas, lugares de S. Lourenço de Ribapinhão, do concelho de Sabrosa.

As Maias

Imagens obtidas na freguesia de S. Lourenço de Ribapinhão, concelho de Sabrosa, em 3 de maio de 2021. Todos os anos, neste mês, vestem-se os montes de amarelo, resultado das flores das gestas, ou giestas! Jorge Lage relata no seu livro "As Maias entre Mitos e Crenças" diversas tradições sobre as Maias que advêm de tempos remotos, perdurando ainda na atualidade!

Nos altos de S. Lourenço

Nos altos da freguesia de S. Lourenço de Ribapinhão: Arcã, Delgada, Vilar Celas, em 03 de abril de 2021!

Vista parcial de S. Lourenço

Vista do alto de S. Lourenço, para a Igreja Matriz S. Lourenço de Ribapinhão, concelho de Sabrosa

Lugar do Coto

Coto, S. Lourenço de Ribapinhão Como é sabido, a aldeia de S. Lourenço de Ribapinhão, no concelho de Sabrosa, possui um singular micro-habitat, na medida em que é constituída por um conjunto de aglomerados habitacionais, dispersos entre si. Mostra-se, na foto apresentada, um desses aglomerados: o Coto.

S. Lourenço

S. Lourenço de Ribapinhão: Choupana e Coto A foto mostra uma vista parcial de S. Lourenço de Ribapinhão, nomeadamente as zonas da Choupana e do Coto, em segundo plano. Clique na imagem para visualizar em tamanho maior.

Encontro com Delfim da Silva Monteiro, nas Paredes

Número de telefone para contactar o Sr. Delfim: 969179420 No lugar das Paredes, freguesia de S. Lourenço de Ribapinhão, o encontro espontâneo com Delfim da Silva Monteiro que, em tempos, me contou a lenda de Nossa Senhora das Candeias. Neste vídeo, em linguagem simples, muito expressiva, refere as curas que consegue a quem o procura, através da invocação de Nossa Senhora da Saúde!

Igreja Matriz de S. Lourenço de Ribapinhão

Aspetos da freguesia de S. Lourenço de Ribapinhão, do concelho de Sabrosa, e a sua Igreja Matriz, na tarde de 24 de fevereiro de 2021.

Paredes, S. Lourenço de Ribapinhão

Paredes, S. Lourenço de Ribapinhão, concelho de Sabrosa 12-01-2021

Património Arqueológico de S. Lourenço

Património arqueológico da freguesia de S. Lourenço de Ribapinhão Mamoa de Madorras, Arcã, freguesia de S. Lourenço de Ribapinhão Situa-se na freguesia de S. Lourenço de Ribapinhão grande parte do património arqueológico, referente ao megalitismo (Neolítico Final – Bronze Final). Assim, no sítio das Madorras, em Arcã, uma impressionante mamoa, com cerca de trinta metros de diâmetro, revelou, na escavação de 1983-1989, espólio constituído por materiais cerâmicos, lâminas em sílex, contas de colar em xisto, ídolos e numerosos moventes e dormente de moinhos manuais (cf. Huet. B. Gonçalves, in ob. cit ). Outras mamoas da freguesia de S. Lourenço de Ribapinhão: mamoa 2 das Madorras (Arcã), mamoa da Praina das Moutinhas, mamoas 1 e 2, do Salve Jorge (Arcã), mamoas 1, 2 e 3, da Seara Velha, no lugar da Seara Velha, e mamoa da serra das cebolas (Vilar de Celas). Também na área da freguesia de S. Lourenço se situa o cemitério das Touças (Vilar de Celas), com sepulturas talhadas em blocos granít