Falachas

Falachas
Receita transcrita de "CASTANEA - uma dádiva dos deuses"

de Jorge Lage

1 Kg de farinha de castanhas;
1 colher (concha de sopa) de farinha triga;
Sal, açúcar, água e folhas de castanheiro.

Falachas

As castanhas devem ser picadas ou piladas (descascadas) e secas (endurecidas no forno ou desidratadas), sendo depois moídas em moinhos de água ou outros, com mós tradicionais de granito. A farinha deve ser passada por uma peneira, rejeitando-se a farinha mais grossa.
A farinha é amassada, em água morna ou fria, e preparada, conforme a do milho, mas, sem levar fermento ou crescente, juntando-se-lhe de início à água, sal e açúcar a gosto. Mexe-se muito bem, ficando no tabuleiro ou tacho algum tempo "sem fintar". A massa deve ficar sobre o grosso, mas bem moldável.
Depois, em cima da mesa ou tabuleiro, estendem-se as folhas de castanheiro em grupos de 3 ou 4, colocando, com uma colher de inox, a massa, em cima das folhas e espalma-se de forma circular.
Nesta operação, deve ter-se um tacho com água fria à mão, para nela se mergulhar a colher, cada vez que se quer meter na massa, evitando-se que esta se pegue àquela.
Quando o forno estiver bem quente, põe-se cada falacha crua, sobre as folhas de castanheiro, na pá do forno e introduz-se neste. Se o forno estiver bem quente, deixa-se-lhe a porta aberta. Se estiver menos quente, fecha-se-lhe a porta. No primeiro caso, demora cerca de 10 minutos e, no segundo, 12 a 15 minutos. Estarão cozidas quando tiverem o aspeto de coradas, devendo retirarem-se do forno. Quando o forno está pouco quente, as falachas podem ficar com fissuras ou gretadas.

Recolha de Jorge Lage e receita de Maria de Lurdes Pinto, em Pesqueira - Enxertado - Resende e apoiado na Etnografia Portuguesa de J. L. de Vasconcelos.

Comentários