Bolos Cerimoniais

Bolos Cerimoniais
Alguns manjares do primeiro de maio

por Jorge Lage


No livro, «As Maias entre mitos e crenças», falamos de alguns manjares do primeiro de Maio. O «Bolo Finto», de Estremoz, receita de Luísa Conceição Ribeiro Valente e recolhida pela M.ª das Neves, é um bolo cerimonial do 1.º de Maio, que se come bem cedo, acompanhado de um copito de aguardente ou licor, antes do nascer do Sol, «para não entrar o burro», nas pessoas da casa e nos animais. Este bolo encanta-me e a minha filha acha-o uma delícia, por isso abasteço-me quando por lá passo. O negócio vende bem desde o Alto Alentejo até Beja e, em vez do tradicional bolo de meio quilo ou quilo, já se espalharam os bolos fintos miniaturas, do tamanho dos económicos transmontanos. Mas, ainda sonho comer um dia um bolo finto feito em casa particular, por exemplo em casa da Luísa Conceição, em Veiros. O «Bolo Finto», como o nome indica, fica a fintar longas horas e alguns desistiram da sua confecção, como o padeiro de Montoito (Redondo). Dá muito trabalho, dizem, mas vende-se bem e é um bolo tradicional e saudável. O «Bolo Finto» alentejano é irmão gémeo do «Bolo Podre» de Santa Maria de Émeres (Valpaços) e do «Bolo Dormido» de Mirandela. Um dia vou comer uma fatia de «Bolo Dormido» caseiro!...

Comentários