Linhos de Agarez

Artesanato: linhos de Agarez, Vila Real

Tear
Tear

Em tempos idos, uma boa parte das famílias e casas de lavradores da região tinham à sua disposição teares, essas máquinas interessantíssimas para tecer, naturalmente mais ou menos complexas de acordo com as posses financeiras, pois um tear era construído com sabedoria e habilidade, tarefa só ao alcance de alguns.
O tear da foto não é um desses a que me refiro. É um tear de mesa, de dimensões mais reduzidas que os de Agarez, contudo, semelhante na complexidade, servindo igualmente para tecer peças mais pequenas. Encontra-se atualmente no ArteAzul’Atelier, em Vila Real, para aprimoramento da sua estrutura, com objetivos de investigação da arte de tecer e, eventualmente, realização de algumas obras.

Linho
Linho

Outros teares, ou pelo menos vestígios estarão ainda na posse de algumas famílias, em certas aldeias, como em Agarez, a mais representativa, mas também Mondrões e Couto de Adoufe, entre outras no concelho de Vila Real, onde algumas artesãs continuam a trabalhar o linho.
É muito raro, na atualidade, o cultivo da planta, mas as fases seguintes à sua colheita, como a de ripar, espadelar, fiar e finalmente tecer, são ainda praticadas.
Colchas e toalhas, obras preciosas de artesanato em linho são cuidadosamente efetuadas por mãos experientes, como são sobejamente conhecidos os linhos de Agarez, em Vila Real.

Comentários